Dúvidas Frequentes e Curiosidades

! Clique na pergunta para visualizar a resposta.
Quem é o Fonoaudiólogo?
É o profissional que atua nas áreas de pesquisa, prevenção, avaliação e reabilitação nas áreas de comunicação oral e escrita, voz e audição.
Qual é o objetivo do trabalho do Fonoaudiólogo?
Tratar os distúrbios da comunicação humana, buscando aperfeiçoar os padrões de fala e voz, atendendo todas as patologias que envolvam os distúrbios da comunicação.
Quais as principais áreas de atuação do Fonoaudiólogo?
Atua nas áreas de prevenção, avaliação e reabilitação de distúrbios da motricidade oral (desordens da musculatura facial, dificuldades de respiração, mastigação e deglutição, hábitos inadequados de sucção); de voz, da audição (prevenção das desordens da audição, orientação à prevenção das otites, principalmente durante a primeira infância, diagnóstico de deficiência auditiva e reabilitação do paciente deficiente auditivo); da linguagem oral (atraso de aquisição, substituições na fala, gagueira); da linguagem escrita, entre outros.
Quais os locais de atuação do Fonoaudiólogo?
Poderá atuar em consultório privado, instituições públicas, clínicas multidisciplinares, hospitais e maternidades, home-care, postos de saúde, creches e escolas, indústrias e empresas de telemarketing, emissoras de rádio e televisão, teatro e muitos outros.
Quais as atividades que o Fonoaudiólogo realiza no consultório particular?
São realizadas avaliações e reabilitações das patologias de linguagem (oral e escrita), motricidade oral, voz, testes de audição, (re)habilitação do deficiente auditivo e orientação familiar.
Quais as atividades que o Fonoaudiólogo realiza nas maternidades e hospitais?
Nas maternidades, as ações do Fonoaudiólogo estão voltadas para as atividades preventivas, como acompanhamento de gestantes durante o programa de pré-natal, orientando e estimulando a importância da amamentação natural e seus benefícios para o desenvolvimento global do bebê, bem como a realização de testes específicos de audição, para o diagnóstico precoce da deficiência auditiva e estimulação precoce em bebês prematuros, durante o período de internação no berçário. Em hospitais, o Fonoaudiólogo atua intervindo em pacientes pós AVC (derrame cerebral), pós cirurgia de cabeça e pescoço e traumatismo cerebral, tratando as alterações das funções estomatognáticas e da linguagem.
Quais as atividades que o Fonoaudiólogo realiza nos postos e centros de saúde?
O Fonoaudiólogo, inserido na saúde pública, tem sua ação voltada principalmente para a prevenção dos distúrbios da comunicação, atuando em grupos de acompanhamento a gestantes, de saúde auditiva e vocal, entre outros. Além das atividades de prevenção, realiza grupos terapêuticos, com acompanhamento a casos de distúrbios da linguagem oral e escrita, por exemplo, ou atendimentos individuais. Em conjunto com as atividades preventivas e de reabilitação, o Fonoaudiólogo também realiza diagnóstico audiológico e faz os encaminhamentos necessários para a melhor adaptação do indivíduo à sociedade.
Quais as atividades que o Fonoaudiólogo realiza nas creches e escolas?
Tem sua ação voltada às atividades de otimização do processo de aprendizagem infantil, além das orientações a pais e professores. Para isso, realiza triagens fonoaudiológicas, com o objetivo de diagnosticar precocemente qualquer alteração auditiva, de fala e de linguagem, que possam vir a prejudicar o desenvolvimento infantil. O atendimento clínico não deverá ser realizado dentro do espaço da instituição, a não ser em escolas especiais.
Quais as atividades que o Fonoaudiólogo realiza nas indústrias?
Realiza exames de controle audiológico, prevenindo a saúde do trabalhador contra possíveis perdas auditivas induzidas por ruído.
Quais as atividades que o Fonoaudiólogo realiza em empresas de telemarketing?
Realiza trabalho de orientação e prevenção de alterações vocais, ressaltando a importância da respiração, articulação e postura corporal durante a atividade.
Quais as atividades que o Fonoaudiólogo realiza nas emissoras de rádio e TV?
Orienta locutores, apresentadores e atores quanto à articulação, respiração e postura corporal, bem como na prevenção e reabilitação dos distúrbios vocais.
Quem é o cliente do Fonoaudiólogo?
Os trabalhos do Fonoaudiólogo são realizados com bebês, crianças, adolescentes, adultos e idosos, sendo que cada paciente apresenta sua particularidade e necessidade específica, de acordo com a patologia apresentada.
Qual a atividade do Fonoaudiólogo com pacientes idosos?
Os pacientes idosos podem apresentar alterações de linguagem e das funções estomatognáticas, decorrentes de patologias como afasia, alterações neurológicas progressivas, como o Mal de Parkinson, Mal de Alzheimer e Esclerose Múltipla, que manifestam como sequelas possíveis, as alterações de deglutição (disfagia), entre outras. O fonoaudiólogo também promove grupos terapêuticos com os idosos institucionalizados, visando principalmente a manutenção da atividade dialógica e o uso social da linguagem.
Quais são os profissionais que trabalham com o Fonoaudiólogo?
Nos seus diferentes espaços de inserção, o Fonoaudiólogo trabalha com o Médico Pediatra, Neurologista, Otorrinolaringologista, Oftalmologista, Ortodontista, Psicólogo, Terapeuta Ocupacional, Assistente Social e o profissional da área de Educação. Sua atuação poderá acontecer dentro de uma equipe multi ou interdisciplinar.
Como minimizar os custos com a Segurança do Trabalho?
A melhor maneira de minimizar os custos da empresa é investir na prevenção de acidentes. Muitos empresários tem a idéia errônea que devem diminuir seus investimentos em equipamentos de proteção individual, contratação de pessoal de segurança do trabalho e medidas de segurança. O custo de um acidente pode trazer inúmeros prejuízos à empresa. O acidente leva a encargos com advogados, perdas de tempo e materiais e na produção. Sabem-se casos de empresas que tiveram que fechar suas portas devido à indenização por acidentes de trabalho. Com certeza seria muito mais simples investir em prevenção e em regularização da segurança nesta empresa, evitando futuras complicações legais.
O que exatamente faz cada um dos profissionais de Segurança do Trabalho?
A seguir a descrição das atividades dos profissinais de Saúde e Segurança do Trabalho, de acordo com a Classificação Brasileira de Ocupações - CBO. Engenheiro de Segurança do Trabalho - CBO 0-28.40 • assessora empresas industriais e de outro gênero em assuntos relativos à segurança e higiene do trabalho, examinando locais e condições de trabalho, instalações em geral e material, métodos e processos de fabricação adotados pelo trabalhador, para determinar as necessidades dessas empresas no campo da prevenção de acidentes; • inspeciona estabelecimentos fabris, comerciais e de outro gênero, verificando se existem riscos de incêndios, desmoronamentos ou outros perigos, para fornecer indicações quanto às precauções a serem tomadas; • promove a aplicação de dispositivos especiais de segurança, como óculos de proteção, cintos de segurança, vestuário especial, máscara e outros, determinando aspectos técnicos funcionais e demais características, para prevenir ou diminuir a possibilidade de acidentes; • adapta os recursos técnicos e humanos, estudando a adequação da máquina ao homem e do homem à máquina, para proporcionar maior segurança ao trabalhador; • executa campanhas educativas sobre prevenção de acidentes, organizando palestras e divulgações nos meios de comunicação, distribuindo publicações e outro material informativo, para conscientizar os trabalhadores e o público, em geral; • estuda as ocupações encontradas num estabelecimento fabril, comercial ou de outro gênero, analisando suas características, para avaliar a insalubridade ou periculosidade de tarefas ou operações ligadas à execução do trabalho; • realiza estudos sobre acidentes de trabalho e doenças profissionais, consultando técnicos de diversos campos, bibliografia especializada, visitando fábricas e outros estabelecimentos, para determinar as causas desses acidentes e elaborar recomendações de segurança. Técnico de Segurança do Trabalho - CBO 0-39.45 • inspeciona locais, instalações e equipamentos da empresa, observando as condições de trabalho, para determinar fatores e riscos de acidentes; estabelece normas e dispositivos de segurança, sugerindo eventuais modificações nos equipamentos e instalações e verificando sua observância, para prevenir acidentes; • inspeciona os postos de combate a incêndios, examinando as mangueiras, hidrantes, extintores e equipamentos de proteção contra incêndios, para certificar-se de suas perfeitas condições de funcionamento; • comunica os resultados de suas inspeções, elaborando relatórios, para propor a reparação ou renovação do equipamento de extinção de incêndios e outras medidas de segurança; • investiga acidentes ocorridos, examinando as condições da ocorrência, para identificar suas causas e propor as providências cabíveis; • mantém contatos com os serviços médico e social da empresa ou de outra instituição, utilizando os meios de comunicação oficiais, para facilitar o atendimento necessário aos acidentados; • registra irregularidades ocorridas, anotando-as em formulários próprios e elaborando estatísticas de acidentes, para obter subsídios destinados à melhoria das medidas de segurança; • instrui os funcionários da empresa sobre normas de segurança, combate a incêndios e demais medidas de prevenção de acidentes, ministrando palestras e treinamento, para que possam agir acertadamente em casos de emergência; • coordena a publicação de matéria sobre segurança no trabalho, preparando instruções e orientando a confecção de cartazes e avisos, para divulgar e desenvolver hábitos de prevenção de acidentes; • participa de reuniões sobre segurança no trabalho, fornecendo dados relativos ao assunto, apresentando sugestões e analisando a viabilidade de medidas de segurança propostas, para aperfeiçoar o sistema existente. Médico do Trabalho - CBO - 0-61.22 • executa exames periódicos de todos os empregados ou em especial daqueles expostos a maior risco de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais, fazendo o exame clínico e/ou interpretando os resultados de exames complementares, para controlar as condições de saúde dos mesmos a assegurar a continuidade operacional e a produtividade; • executa exames médicos especiais em trabalhadores do sexo feminino, menores, idosos ou portadores de subnormalidades, fazendo anamnese, exame clínico e/ou interpretando os resultados de exames complementares, para detectar prováveis danos à saúde em decorrência do trabalho que executam e instruir a administração da empresa para possíveis mudanças de atividades; • faz tratamento de urgência em casos de acidentes de trabalho ou alterações agudas da saúde, orientando e/ou executando a terapêutica adequada, para prevenir conseqüências mais graves ao trabalhador; • avalia, juntamente com outros profissionais, condições de insegurança, visitando periodicamente os locais de trabalho, para sugerir à direção da empresa medidas destinadas a remover ou atenuar os riscos existentes; • participa, juntamente com outros profissionais, da elaboração e execução de programas de proteção à saúde dos trabalhadores, analisando em conjunto os riscos, as condições de trabalho, os fatores de insalubridade, de fadiga e outros, para obter a redução de absenteísmo e a renovação da mão-de-obra; • participa do planejamento e execução dos programas de treinamento das equipes de atendimento de emergências, avaliando as necessidades e ministrando aulas, para capacitar o pessoal incumbido de prestar primeiros socorros em casos de acidentes graves e catástrofes; • participa de inquéritos sanitários, levantamentos de doenças profissionais, lesões traumáticas e estudos epidemiológicos, elaborando e/ou preenchendo formulários próprios e estudando os dados estatísticos, para estabelecer medidas destinadas a reduzir a morbidade e mortalidade decorrentes de acidentes do trabalho, doenças profissionais e doenças de natureza não-ocupacional; • participa de atividades de prevenção de acidentes, comparecendo a reuniões e assessorando em estudos e programas, para reduzir as ocorrências de acidentes do trabalho; • participa dos programas de vacinação, orientando a seleção da população trabalhadora e o tipo de vacina a ser aplicada, para prevenir moléstias transmissíveis; • participa de estudos das atividades realizadas pela empresa, analisando as exigências psicossomáticas de cada atividade, para elaboração das análises profissiográficas; • procede aos exames médicos destinados à seleção ou orientação de candidatos a emprego em ocupações definidas, baseando-se nas exigências psicossomáticas das mesmas, para possibilitar o aproveitamento dos mais aptos; • participa da inspeção das instalações destinadas ao bem-estar dos trabalhadores, visitando, juntamente com o nutricionista, em geral (0-68.10), e o enfermeiro de higiene do trabalho (0-71.40) e/ou outros profissionais indicados, o restaurante, a cozinha, a creche e as instalações sanitárias, para observar as condições de higiene e orientar a correção das possíveis falhas existentes. Pode participar do planejamento, instalação e funcionamento dos serviços médicos da empresa. Pode elaborar laudos periciais sobre acidentes do trabalho, doenças profissionais e condições de insalubridade. Pode participar de reuniões de órgãos comunitários governamentais ou privados, interessados na saúde e bem-estar dos trabalhadores. Pode participar de congressos médicos ou de prevenção de acidentes e divulgar pesquisas sobre saúde ocupacional. Enfermeiro do Trabalho CBO - 0-71.40 • Estuda as condições de segurança e periculosidade da empresa, efetuando observações nos locais de trabalho e discutindo-as em equipe, para identificar as necessidades no campo da segurança, higiene e melhoria do trabalho; • Elabora e executa planos e programas de proteção à saúde dos empregados, participando de grupos que realizam inquéritos sanitários, estudam as causas de absenteísmo, fazem levantamentos de doenças profissionais e lesões traumáticas, procedem a estudos epidemiológicos, coletam dados estatísticos de morbidade e mortalidade de trabalhadores, investigando possíveis relações com as atividades funcionais, para obter a continuidade operacional e aumento da produtividade; • Executa e avalia programas de prevenções de acidentes e de doenças profissionais ou não-profissionais, fazendo análise da fadiga, dos fatores de insalubridade, dos riscos e das condições de trabalho do menor e da mulher, para propiciar a preservação de integridade física e mental do trabalhador; • Presta primeiros socorros no local de trabalho, em caso de acidente ou doença, fazendo curativos ou imobilizações especiais, administrando medicamentos e tratamentos e providenciando o posterior atendimento médico adequado, para atenuar consequências e proporcionar apoio e conforto ao paciente; • Elabora e executa ou supervisiona e avalia as atividades de assistência de enfermagem aos trabalhadores, proporcionando-lhes atendimento ambulatorial, no local de trabalho, controlando sinais vitais, aplicando medicamentos prescritos, curativos, instalações e teses, coletando material para exame laboratorial, vacinações e outros tratamentos, para reduzir o absenteísmo profissional; organiza e administra o setor de enfermagem da empresa, provendo pessoal e material necessários, treinando e supervisionando auxiliares de enfermagem do trabalho, atendentes e outros, para promover o atendimento adequado às necessidades de saúde do trabalhador; • Treina trabalhadores, instruindo-os sobre o uso de roupas e material adequado ao tipo de trabalho, para reduzir a incidência de acidentes; • Planeja e executa programas de educação sanitária, divulgando conhecimentos e estimulando a aquisição de hábitos sadios, para prevenir doenças profissionais, mantendo cadastros atualizados, a fim de preparar informes para subsídios processuais nos pedidos de indenização e orientar em problemas de prevenção de doenças profissionais. Auxiliar de Enfermagem do trabalho • desempenha tarefas similares às que realiza o auxiliar de enfermagem, em geral (5-72.10), porém atua em dependências de fábricas, indústrias ou outros estabelecimentos que justifiquem sua presença. Fonte: Código Brasileiro de Ocupação - CBO
Porque minha empresa precisa constituir equipe de Segurança do Trabalho?
Porque é exigido por lei. Por outro lado, a Segurança do Trabalho faz com que a empresa se organize, aumentando a produtividade e a qualidade dos produtos, melhorando as relações humanas no trabalho.
O que é Segurança do Trabalho?
Segurança do trabalho pode ser entendida como os conjuntos de medidas que são adotadas visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais, bem como proteger a integridade e a capacidade de trabalho do trabalhador. A Segurança do Trabalho estuda diversas disciplinas como Introdução à Segurança, Higiene e Medicina do Trabalho, Prevenção e Controle de Riscos em Máquinas, Equipamentos e Instalações, Psicologia na Engenharia de Segurança, Comunicação e Treinamento, Administração aplicada à Engenharia de Segurança, O Ambiente e as Doenças do Trabalho, Higiene do Trabalho, Metodologia de Pesquisa, Legislação, Normas Técnicas, Responsabilidade Civil e Criminal, Perícias, Proteção do Meio Ambiente, Ergonomia e Iluminação, Proteção contra Incêndios e Explosões e Gerência de Riscos. O quadro de Segurança do Trabalho de uma empresa compõe-se de uma equipe multidisciplinar composta por Técnico de Segurança do Trabalho, Engenheiro de Segurança do Trabalho, Médico do Trabalho e Enfermeiro do Trabalho. Estes profissionais formam o que chamamos de SESMT - Serviço Especializado em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho. Também os empregados da empresa constituem a CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, que tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho com a preservação da vida e a promoção da saúde do trabalhador. A Segurança do Trabalho é definida por normas e leis. No Brasil a Legislação de Segurança do Trabalho compõe-se de Normas Regulamentadoras, Normas Regulamentadoras Rurais, outras leis complementares, como portarias e decretos e também as convenções Internacionais da Organização Internacional do Trabalho, ratificadas pelo Brasil.
O que devo fazer quando suspeitar de algum problema auditivo?
Quando há suspeita de algum problema auditivo deve-se procurar um médico otorrinolaringologista (especialista em ouvido e garganta). O médico fará uma avaliação, solicitará exames e indicará, caso confirme o problema auditivo, qual a solução : se tratamento medicamentoso, cirurgia ou o uso de aparelho auditivo.
Caso o uso do aparelho auditivo seja indicado, qual o procedimento para adquiri-lo?
A seleção e adaptação são feitos por fonoaudiólogos ( profissionais que tratam da comunicação : fala, escrita e audição). De acordo com o diagnóstico do tipo e grau da deficiência auditiva, fornecido pelo otorrinolaringologista, a fonoaudióloga testará e escolherá junto com o paciente o melhor modelo de aparelho auditivo. Existem várias tecnologias disponíveis (analógicos, programáveis e digitais) e vários modelos (microcanal, intracanal, intra auricular, miniretroauricular e retroauricular). Entre as tecnologias, a digital é a que oferece maior clareza e conforto auditivo. Entre os modelos, o retroauricular é o mais potente e oferece mais recursos opcionais enquanto que o microcanal é o mais discreto esteticamente. De acordo com a potência necessária conforme grau e tipo de perda auditiva e necessidades individuais o aparelho é selecionado e ajustado.
A adaptação ao aparelho auditivo é difícil ou demorada?
Não. O primeiro passo para uma adaptação tranquila é o paciente estar ciente que necessita do aparelho e ter vontade de usá-lo. É importante que essa adaptação seja feita de forma gradual, ou seja, que o usuário comece utilizando o aparelho somente em locais silenciosos, pelo tempo que achar confortável Após se sentir seguro com o manuseio e uso do aparelho, deve-se usar em locais mais ruidosos. Qualquer dificuldade deve ser relatada ao fonoaudiólogo para que esse faça os ajustes e dê a orientação adequada. O tempo de uso do aparelho deve ir aumentando gradativamente assim como a diversidade de locais e ambientes sonoros, até que o usuário utilize o aparelho durante todo o tempo e em qualquer local. Essa adaptação pode levar até 2 meses, depende muito da expectativa, necessidades e características individuais.
Qual a vida útil de um aparelho auditivo?
É difícil prever a vida útil de um aparelho auditivo porque variáveis como umidade do ar e a transpiração do usuário influem muito. Os principais inimigos do aparelho são : umidade e queda. A umidade pode oxidar as peças internas e a queda pode romper fiações e quebrar componentes internos que são muito pequenos e delicados. A média de vida útil seria 5 anos. É importante que 1 vez por ano o usuário faça uma revisão em seu aparelho e nova audiometria (exame de audição) para saber se há necessidade de novos ajustes . O CAS oferece revisão por 5 anos além da garantia que pode ser de 1 ou 2 anos, informe-se sobre os "multibenefícios" em uma filial.
Existe algum cuidado especial com as pilhas do aparelho?
As pilhas Siemens são de zinco-ar , ou seja, ela possui um selo protetor que somente deve ser removido no momento de se colocar no aparelho. Retirando-se este selo, estaremos permitindo a entrada de ar na pilha para ativação da carga (energia). Para essa ativação precisamos retirar o selo e esperar 1 minuto antes de colocarmos a pilha no aparelho. É muito importante manter a pilha guardada em local fresco e seco. Após a utilização, a pilha pode ser descartada em lixo comum pois não possui substância química poluente.
Todo aparelho digital deve ser conectado a um computador para ser ajustado?
Não. O que faz um aparelho ser digital é a maneira como o som é processado internamente. O fato de se conectar o aparelho no computador pode oferecer mais flexibilidade de ajustes, mas não uma qualidade sonora digital, que significa som limpo, claro, livre de distorção, menos amplificação de ruídos ambientais, maior ênfase em fala e menor ruído interno.
O que devo fazer para cuidar bem de meu aparelho auditivo?
É importante limpar o aparelho sempre após o uso, utilizando um lenço de papel ou toalha e uma escovinha. Remova a cera que estiver na ponta para evitar que a mesma entre no aparelho. A cada 15 dias pelo menos é recomendável a colocação do aparelho no Dri-aid, um acessório utilizado para retirar a umidade do aparelho, ajudando na prevenção da oxidação.
Como saber se o aparelho está bem adaptado fisicamente em meu ouvido?
O aparelho intra ou o molde do aparelho retroauricular são feitos sob medida e precisam estar bem justos para evitar que o som amplificado volte para o microfone (microfonia / apito) e evitar que saia do ouvido. Devem ser confortáveis e justos ao mesmo tempo, não devem causar irritações ou dores. Qualquer problema consulte o fonoaudiólogo para que sejam feitos ajustes ou , se necessário, novo pré-molde.
Usando aparelho auditivo eu vou ouvir muito barulho?
O aparelho auditivo irá amplificar todos os sons a sua volta. Podemos enfatizar sons da voz e reduzir ruídos, principalmente nos aparelhos digitais, mas ruídos existem e não podemos e tampouco devemos eliminá-los completamente, ouvir barulho faz parte da audição normal também. Com certeza você não ouvirá mais do que pessoas com audição normal estarão ouvindo, se isso acontecer, seu aparelho precisa de ajustes e revisão.
O que são canais de um aparelho auditivo?
Os sons possuem diferentes frequências, desde graves até bem agudas. Os aparelhos auditivos geralmente possuem uma faixa de frequência de 100 a 7000 Hz. Quando o aparelho possui 1 canal, significa que todas as faixas de frequência terão as mesmas características de ajustes. Quando possui mais canais, toda essa faixa de frequência é dividida de acordo com o número de canais e cada canal pode ter características de ajustes independentes.
O que são os programas de um aparelho auditivo?
Os aparelhos auditivos são ajustados para uma determinada situação, quando possui mais de um programa, ele poderá ter diferentes ajustes para situações diferentes. Por exemplo, um ajuste para ser usado em casa, outro no trabalho, outro na rua, etc..., dependendo do número de programas.
Como saber qual o aparelho auditivo melhor se adapta ao meu caso?
O fonoaudiólogo deverá selecionar o melhor aparelho. Ele deverá estar de acordo com a perda auditiva e também de acordo com as expectativas e necessidades do usuário. Portanto é muito importante que o fonoaudiólogo saiba sobre a rotina do usuário, ambientes sonoros que freqüenta e habilidade manual. Os aparelhos diferem muito entre si no que diz respeito a opcionais, portanto, dependendo das necessidades do usuário , um aparelho se adaptará melhor que outro, o que não significa que a qualidade sonora seja superior.
Selecionamos aqui algumas curiosidades, dicas e dúvidas frequentes relacionadas às nossas especialidades, para que você possa enriquecer seus conhecimentos. Caso tenha alguma dúvida que não contenha nesta página, envie uma mensagem para nossa equipe.
+ enviar mensagem

novidades por email

Receba nossas novidades por email

entre em contato

Rua Barão do Rio Branco, nº 882, salas 406 - 409 Centro - Feira de Santana - BA
Fone: (75) 3614-1780

redes sociais

Twitter Facebook Flickr Linked in Instagram
Lince Web - Soluções Inteligentes
Copyright 2006 - 2018. Clínica Fonoclin.
Webmail